segunda-feira, 10 de maio de 2010

TRIATLO CIDADE DE COIMBRA

                                                                   
                                                             foto : sports.mascarenhas

 
Mais um sprint, mais uma viagem, desta vez juntamente com a equipa, deslocámo-nos à Cidade das capas negras, logo ao chegar não pude deixar de sorrir quando vi um imenso cartaz "o que se faz na queima fica na queima", vieram-me à memória recordações de outros tempos e outras folias, nada como viver intensamente todos os momentos pois existem tempos irrepetíveis.
Mas como não sou daqueles que pedem para o tempo voltar para trás, e prefiro correr atrás do tempo o que lá vai, lá vai e serve de base ao que está para vir.
Agora uma coisa é certa apesar de podermos continuar a ser rápidos a experiência ensina-nos o prazer da resistência e nos sprints não podemos ter esse gosto especial de termos ido às reservas, da cabeça ter obrigado o corpo a dar o que pensava já não ter. Aqui é tudo muito rápido, tipo "toca e foge", por vezes não conseguimos responder com a rapidez que queriamos.
O espaço onde decorreu o Triatlo, tem condições excelentes para a realização da prova e foi magnifico ver mais uma participação em massa de atletas, de todos os escalões mostrando que esta é uma modalidade inclusiva dos 8 aos 80 : ).
O segmento de natação decorreu num Rio Mondego com água muito fria, a partida decorreu sem grandes sobresaltos e apesar de alguns toques nas aproximações às boias , tudo normal, cada vez estou mais próximo de sair da água ainda no minuto 11,  só faltaram 12 segundos.
Uma transição normal, apesar da miopia, não andei perdido no parque, no segmento de ciclismo as coisas podiam ter corrido melhor, no final de se ter formado um grupo, houve muitos ataques e andei sempre no elástico até que fiquei para trás na entrada para a última volta e para mal dos meus pecados na última subida já a menos de 1 km do Parque de Transição veio um grande grupo com cerca de 20 unidades rebocado pelo Pedro Pinheiro, com os principais adversários, sendo que a maioria corre mais que eu, só restava minimizar o prejuizo.
Entrei no parque na traseira do grupo, fiz uma transição rápida e lá fui correndo, mas quando o corpo começou a querer dar mais, a meta já estava próxima.
 Depois de vistos os tempos e apesar do ciclismo ter mais que os 20 kms e a corrida menos que os 5 kms previstos a prestação pode-se dizer que foi sofrivel, mas é verdade que esta era uma prova em que já sabia que não estaria no topo, como resumo diga-se que foi um Triatlo "NIM".
Agora entra uma semana ainda com muito volume e depois uma semana em que fica a intensidade para estar pronto para o Funchal e Aveiro.

7 comentários:

Triatleta disse...

Esse gajo que reboca gajos que correm mais que tu é um grande malandro. Para a próxima, diz a esse gajo para dar uns valentes esticões e deixar esses chupa-rodas para trás ;-)

Sapo Da Barragem disse...

Melhores dias virão. Parece que o meu amigo ficou com alguma nostalgia dos tempos dos duelos de capas com o Billy Mongo, e vai daí, toca de acusar esses belos tempos passados.
Atenção que esta semana tou a fazer treino especifico e de alto rendimento: no sábado todo o dia a descavar vinha com o tractor debaixo de uma chuva intensa, e para esta semana todos os dias a descavar à enxada.
Garanto-te que cada treino destes equivale a fazer um duplo Iron Man. Depois deste trabalho especifico, espero finalmente estar no ponto.

RealMed disse...

Estou à tua espera na Madeira.
Duarte Câmara

sica disse...

As energias estão concentradas no Triatlo do Funchal, espero fazer uma boa prova.

Duarte Câmara disse...

Quando vens?
Duarte Câmara

sica disse...

Vai ser tipo Amstrong, chego em cima da prova e regresso logo após o final.
Voos da Sata para não pagar a bike ao final do dia.

Duarte Câmara disse...

Sábado vou lá estar , com uma tenda montada.