segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

AQUARELA

A radio tem destas coisas, nos momentos em que estamos quase a deitar a toalha ao chão assoberbados pelo peso de tantas coisas más, descobrimos na simplicidade de uma música a esperança num mundo melhor em que existe um tempo e um espaço para construirmos a felicidade.
Convido-vos a sonhar
http://www.youtube.com/embed/IG1ZU56tsdo
E o futuro é uma astronave
Que tentamos pilotar
Não tem tempo, nem piedade
Nem tem hora de chegar
Sem pedir licença
Muda a nossa vida
E depois convida
a rir ou chorar ...

sábado, 1 de dezembro de 2012

PASSO A PASSO

Vou tentar explicar algo que nem sempre é fácil de perceber para quem não conhece a Tribo.
Existe quem jogue futebol, quem corra quem nade, quem jogue tenis , and so on , mas não existe quem faça Triatlo, porque na realidade o Triatlo é algo que se torna parte de nós.
Existem Triatletas, todos eles têm uma rotina que se torna uma religião, adaptamo-nos esticamos o tempo, mas acima de tudo temos de nos saber motivar e ter a disciplina necessária para dia após dia, mês após mês, ano após ano, treinarmos com mais ou menos intensidade mais ou menos volume, mas o treino é algo que faz parte da nossa vida e não podemos viver sem ele e ao fim de algum tempo descobrimos que nos tornámos pessoas diferentes, melhores, mais saudáveis, mais magros :-) , mais disciplinados, mais persistentes.
Agora que se aproxima uma nova época estou de novo à procura do meu equilibrio.

domingo, 18 de novembro de 2012

5 ANOS DE TRIATLO

Hoje realizámos o nosso convivio anual, uma ocasião em que a familia do Triatlo de Peniche se reúne, atletas e familias todos juntos para contarmos histórias, comermos sardinhas, bebermos uns tintos, analisarmos a época que passou e darmos o pontapé de saida para a época que se avizinha.
Este ano convidámos a população para correr com o nosso Campeão do Mundo o Márcio que teve uma mais que merecida homenagem e foi eleito por unânimidade como o nosso atleta do ano.
Foi um ano bom para o Triatlo de Peniche a equipa afirmou-se como uma referência no Triatlo Nacional, com uma participação em praticamente todas as provas do Calendário Nacional e excelentes prestações no Campeonato Nacional 6º lugar e Taça Porterra 5º lugar.
Entraram excelentes amigos para a equipa e reforçámos o espirito que caracteriza o Peniche, em primeiro a amizade, o convivio e o que nos dá prazer "participar nas provas", depois os resultados.
Fizémos 5 anos, temos um novo site onde podem ir acompanhando as nossas noticias https://sites.google.com/site/pactriatlo/
Da minha parte agradeço todos os bons momentos que tenho passado com os meus companheiros de equipa, contem conosco para o próximo ano.

sábado, 3 de novembro de 2012

QUERO MAIS, PORQUE SIM ;-)

Tempo de mudança e tempo de certeza.
No meio do turbilhão que se tornou a vida de muitos Portugueses, eu tenho uma certeza chegámos ao fim de um ciclo, não sei o que aí vem, mas sei o que quero, para mim empobrecer não é uma solução. Acho que todos nós devemos ter ambição, não de ter mais, mas de ser mais, sermos melhores e conseguirmos aproveitar o melhor de nós e dos que nos rodeiam.
Quem me conhece sabe que sou por natureza optimista, mesmo quando as nuvens que pairam indicam uma grande tempestade, penso na bonança que virá a seguir.
Devemos retirar uma lição, não podemos deixar o nosso destino nas mão de qualquer um, temos de ser mais exigentes com quem nos lidera e desconfiar sempre das soluções mais fáceis, quando alguém desbarata dinheiro público temos o dever de apontar o dedo, quando alguém foge às suas responsabilidades temos de apontar o dedo, quando alguém nos quer tornar mais pobres temos de lutar por alternativas.Também temos de desmascarar os "falsos estadistas" que continuam a dizer que avisaram, mas nada fizeram quando podiam e deviam ter agido. Em vez disso também lucraram com o sistema vigente, e outros  "pseudo estadistas",  que perante o problema que está à vista de todos, o sobreendividamento nos dizem que a solução para esta crise está ao virar da esquina, basta emitir mais moeda e encharcar o mercado de liquidez.
Ser orfão é triste mas ter Pais como Cavaco e Soares ainda se torna mais triste, costuma dizer-se que ninguém tem culpa dos Pais que tem, infelizmente não é o nosso caso, os Portugueses votaram e confiaram nestes Senhores.
É possivel existir vida para além da crise?
Estou convito que sim, mas não com este sistema partidário.

sábado, 20 de outubro de 2012

MÁRCIO NEVES O NOSSO CAMPEÃO



O sonho de qualquer triatleta, é um dia poder estar na Grande Ilha de Kona no Hawaii, foi aí que tudo começou, diria que a presença no Campeonato do Mundo de Ironman que se realiza todos os anos no Hawaii, é tão importante para um Triatleta como a peregrinação anual a Meca realizada pelos Muçulmanos.
Todos os anos são dezenas de milhar os triatletas que tentam a sua qualificação e desses menos de mil são qualificados directamente nos vários escalões para poderem participar no Campeonato do Mundo, depois existem aqueles que conseguem o seu lugar através de um sorteio, onde alguns sortudos conseguem cumprir o seu sonho.
Este é um evento Universal, com uma cobertura enorme por parte dos média. Em Paises como os Estados Unidos, Australia, Nova Zelândia, Inglaterra, Alemanha, and so on, os atletas que conseguem algum resultado de relevo são alvo da atenção mediatica e o seu esforço e dedicação é largamente compensado pelos apoios e patrocinios que conseguem reunir.
Este ano um atleta enorme que se dedica de corpo e alma ao Triatlo alcançou um feito único e inédito no nosso País, Márcio Neves o meu companheiro de Equipa ( grande Peniche AC) , sagrou-se Campeão Mundial do seu escalão.
Espero que também por cá algumas pessoas e marcas estejam atentas ao feito deste Campeão diria que é um investimento com retorno garantido. A humildade, persistência, esforço e dedicação tornan-no um ícone para todos os que praticam Triatlo, mas também para todo o País que olhando para o seu exemplo consegue ver que nós PORTUGUESES, se nos dedicarmos podemos mesmo ser os melhores do Mundo. Gostava muito que uma das nossas Marcas Nacionais usa-se o exemplo do Márcio como um exemplo para o País.
Obrigado Márcio.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Site do Peniche AC

Para quem quiser acompanhar as prestações da equipa de Triatlo do Peniche AC, o clube criou um site onde poderão acompanhar as noticias, resultados das provas , fotos, recortes de imprensa e tudo o que diz respeito à nossa grande familia.
Passarei a ter um link directo neste blog para o site do clube que se encontra à distância de um clik https://sites.google.com/site/pactriatlo/

domingo, 7 de outubro de 2012

PARA O ANO HÁ MAIS

Hoje terminei a época de Triatlo com a participação no Triatlo Olimpico de Lisboa, era a última etapa do Campeonato Nacional e depois da desistência em Montemor com a corrente partida e com uma prestação abaixo do desejado em Aveiro, só me restava fazer uma boa prova para acabar a época em grande.
Felizmente a prova acabou por correr de feição, apesar de uma natação desastrada que me fez sair da água no minuto 25, beneficiei do "fenómeno" Pedro Pinheiro, saiu mesmo atrás de mim do parque de transição e senti-me literalmente rebocado no ciclismo acabando por fazer o 11º tempo com 1h 00´02´´, infelizmente já na última volta aconteceu uma queda grave com vários envolvidos, um deles o Pedro que após um segmento inteiro a puxar se tinha resguardado um pouco no meio do grupo, sem dúvida um grande galo. Tirei uma conclusão o ciclismo neste circuito é uma lotaria com tantos buracos e com os grupos que se formam a probabilidade de nos vermos envolvidos numa queda é enorme, tive a sorte de não ser eu.
Comecei a correr e apesar de não me sentir super, deu para aguentar o ritmo inicial, acabando por conseguir a minha melhor marca num triatlo olimpico 2h06m15s, o 27 lugar da geral e 3º do escalão.
Foi uma boa época com muitas subidas ao podio e acima de tudo sem lesões e a divertir-me muito, para o ano temos mais diversão.
Um abraço a todos os que foram torcendo por mim ao longo da época.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

TRIATLO DA AMIZADE -VILA NOVA DE CERVEIRA

Esta é uma daquelas provas que já se tornou um clássico do calendário nacional. O facto de através do Triatlo juntarmos os povos Português e Galego numa comemoração anual foi uma excelente ideia que tem feito o seu caminho nesta festa que foi batizada como o Triatlo da amizade.
A prova tem vários aliciantes o primeiro dos quais a travessia do Rio Minho, este foi um daqueles anos em que a corrente mostrou a sua força e os atletas tiveram que se esforçar para chegar à outra margem. Fiz uma navegação muito boa e consegui sair da água com 11´30´´ na 11ª posição, depois veio o segmento de BTT, que apesar de ser pouco técnico exigia bastante ao nivel fisico com várias subidas e descidas, por fim uma corrida pelo meio de Cerveira com o público nas esplanadas a aplaudir os atletas, um muito obrigado pelo apoio.
No final o resultado foi excelente 16º posição na geral num pelotão de 150 triatletas e 1º no escalão V1.
Agora só penso em esforçar-me para ainda fazer mais e melhor.
um abraço e bons treinos.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

TRIATLO DO ALAMAL- TAÇA PORTERRA

Foto: Filipe Valente
Os Triatlos disputados em versão todo o terreno ( BTT ), normalmente são provas em que a diversão é garantida se lhe juntarmos uma corrida tipo trail ficamos com uma prova única e foi o que aconteceu com este I Triatlo do Alamal.
O Triatlo tem-se mostrado uma excelente aposta por parte de alguns Municipios  que ao organizarem provas atraem novos visitantes ( participantes e familiares), às suas terras e desta forma dão a conhecer o seu património natural. O Municipio do Gavião e o Inatel estão de parabéns pela excelente organização  e pela forma como acolheram todos os participantes.
Foto: Filipe Valente
A prova correu-me muito bem, numa altura complicada ( confesso que a prestação de Aveiro não me tinha satisfeito, sabia que podia fazer mais e melhor) , desta forma consegui recuperar a confiança e ganhar o ritmo competitivo necessário para encarar as poucas provas que faltam para terminar a época.
Depois de uma natação conservadora , resguardado para um segmento de BTT que sabia que ia ser complicado e um mini trail no final que se adivinhava um parte pernas brutal, senti-me sempre muito bem e consegui deixar tudo em prova.
foto : Rita Lopes
No final a satisfação de subir ao podio.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Campeonato Nacional de Triatlo

O fim de semana foi de más sensações e bons resultados.
A prova do Campeonato Nacional Individual não correu da forma que esperava, durante os segmentos de ciclismo e grande parte da corrida não me consegui soltar e parecia que estava a mover uma montanha, valeu o resultado 2º lugar nos V1.
No Domingo senti-me bem melhor e ajudei a equipa a conquistar o Triplete (vencedores em veteranos das estafetas do Campeonato Nacional de clubes de Duatlo, Aquatlo e finalmente Triatlo).
Para fechar com chave de Ouro no final das 20 etapas que constituiam o Campeonato Nacional de Clubes terminámos em 6º lugar meio de 56 equipas participantes.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

VAMOS LÁ ENTÃO

Vamos lá então ao que falta da época competitiva.
Esta expressão que utilizei para titulo do blog, "sai-me" muitas vezes e funciona como uma tomada de fôlego ou um primeiro passo para algo que se avizinha trabalhoso.
Após a jornada épica em Vitória, que foi sem dúvida das melhores experiências que tive no Triatlo, uma prova fantástica com uma companhia excelente, um público como nunca tinha visto igual e um resultado que me deixou muito satisfeito, é preciso encontrar motivação para o que falta da época competitiva.
A verdade é que este final de época tem muito e boa competição, dois Triatlos Olimpicos, dois Triatlos BTT, e espero ter companhia para fazer o Triplete no Campeonato Nacional de Clubes no escalão de Veteranos. Depois de termos levado o Peniche AC ao lugar mais alto do podio no Duatlo e aquatlo espero conseguirmos o mesmo agora no Triatlo.
O mês de Agosto já lá vai e com ele, dois excelentes treinos na Golegã e em Peniche, agora é só afinar de novo o motor e enfrentar o que resta desta época.
Em relação a novos e mais ambiciosos objectivos, vou esperar que surjam naturalmente, para já só penso em fazer mais e melhor :-)

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

ETERNO ARMSTRONG

Lance Amstrong conquistou por direito um lugar na história do ciclismo. O que torna o desporto único é que não há lugar para patos bravos tens de provar a competir o que consegues fazer e onde consegues chegar. Quando alguém quer através da secretaria retirar o protagonismo ao personagem que o conquistou por direito, algo de errado se passa, quando a arbitrariedade e a lei do faroeste fazem o seu caminho devemos questionar-nos. Infelizmente a nossa imprensa uma vez mais seguiu o caminho mais fácil, o da desinformação e do mediatismo barato sem se dar ao trabalho de fazer o seu trabalho de casa. Meus amigos convido-vos a lerem este texto, talvez ajude muitos a fazerem as perguntas certas.
Felizmente penso que o homem não se irá deixar uma vez mais enterrar, e espero um dia ainda o ver a competir em Kailua-kona.
Texto retirado do blog Carro vassoura

O texto a seguir apresentado é da autoria de Diogo Martins, licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. A mim, Rui Quinta, autor habitual do Carro Vassoura, resta-me agradecer ao mesmo e sugerir aos visitantes do blog a leitura do mesmo. Apesar de extenso, vale a pena.
Nota prévia: Ao longo deste artigo não é tomada qualquer posição quer contra quer favor Lance Armstrong. Na realidade, no âmbito deste artigo, é absolutamente indiferente se Armstrong se dopou ou não; apenas relevam as questões processuais e judiciais relacionadas com o ciclista nos últimos dois anos.
A decisão tomada por Lance Armstrong esta passada quinta-feira, dia 23 de Agosto, não é, como alguns sugerem, um reconhecimento da prática de dopagem ou uma verdadeira desistência do processo, antes o ciclista norte-americano partiu para uma segura e inteligente estratégia processual. As acusações que pairavam sobre Lance Armstrong são antigas, mas quase sempre concentradas em França. Contudo, nos últimos dois anos, todas as discussões jurídicas foram para o local onde a imagem de Armstrong era incólume e icónica - os Estados Unidos.
Vale a pena rever e compreender todos os passos jurídicos que ocorreram desde 2010 neste país.
I – Lance Armstrong vs FDA Em Maio de 2010, Floyd Landis, depois de anos a lutar e a jurar inocência no seu próprio caso de doping, admitiu a sua culpa e implicou directamente Lance Armstrong e Johan Bruyneel como os elementos que o levaram a recorrer sistematicamente ao doping. Mais, a estas acusações juntaram-se ainda outras mais graves, incluindo subornos de Armstrong à UCI para esconder controlos positivos e todo um esquema corrupto favorecendo a US Postal. Landis apareceu na opinião pública e perante as autoridades a desmascarar aquilo que seria uma conspiração considerável. Face a essas acusações, foi aberto um procedimento criminal por autoridades federais, não desportivas, nomeadamente a Food and Drug Administration.
 O objectivo deste processo e o interesse das autoridades policiais era, mais do que verificar a dopagem ou não de Armstrong, fazer uma análise profunda para aferir a existência de um esquema de dopagem dentro da US Postal, o que envolveria a prática de mais crimes, nomeadamente o tráfico de substâncias ilegais, fraude, corrupção, tráfico de influências, entre outros; um pouco à semelhança do famoso caso do laboratório BALCO.
Era um processo de cariz criminal, de interesse público, sujeito a penas de prisão. O modelo processual penal americano é francamente diferente do português. Em Portugal o Ministério Público visa apenas apurar a verdade, não havendo verdadeiramente um processo de partes (A vs B). Assim, em Portugal, o MP pode sempre colocar-se a favor do arguido em qualquer momento do processo. Diferentemente, o modelo americano é verdadeiramente um modelo de partes, em que as entidades públicas investigam e montam casos numa perspectiva directa de oposição ao arguido, muitas vezes assumindo posturas agressivas ao acusado.
 Isso explica a típica exteriorização, em filmes e séries, dos procuradores norte-americanos muitas vezes como “vilões”, indiferentes à verdade material, obcecados com condenações radicais. Contudo, em ambos os casos, recai sobre MP e a Procuradoria Norte-Americana investigar e provar a culpa dos arguidos, quando a há. Após a abertura deste processo criminal, seguiu-se uma longa novela, com Bruyneel, Popovych, Ekimov, o ex-presidende da UCI Verbruggen, o actual presidente McQuaid e muitos outros a colocarem-se do lado de Armstrong; enquanto que a FDA se baseou em testemunhos de alguns ex-ciclistas bem conhecidos com Landis e Hamilton.
 O testemunho é a única prova admissível para doping em casos de dopagem sem controlos positivos. Quase dois anos passados, o processo acabou arquivado sem chegar a um julgamento propriamente dito, pela insuficiência da acusação de ter provado o esquema de doping concertado da US Postal. A FDA chegou à conclusão que não tinha recolhido provas suficientemente credíveis como inicialmente pensava e, posto isto, o processo morreu por ali.

II – Lance Armstrong vs USADA Posto isto, veio imediatamente, em Junho deste ano, a USADA abrir ela própria processo contra Armstrong. A USADA é a Agência Americana de Anti-Dopagem e aqui o objectivo era outro - procurava-se aferir exactamente se haveria ou não dopagem; se Armstrong e as demais sete pessoas contra as quais foi aberto procedimento tinham praticado alguma violação desportiva… e não provar a prática de algum crime, nos termos descritos acima e que era o interesse da FDA. Falamos assim de processos diferentes e objectivos diferentes por parte da FDA e por parte da USADA. Isso não implica contudo que os processos sejam absolutamente autónomos um do outro, visto que a USADA aproveitou prova produzida contra Armstrong no processo da FDA e noutros processos relevantes para ela própria abrir o respectivo processo de dopagem. Novamente, as consequências são diferentes: se no processo da FDA poderíamos falar em penas de prisão, aqui as consequências são iminentemente desportivas, dadas as competências da USADA – o que gerou a suspensão provisória de Lance Armstrong. Podemos comparar com o que aconteceu em Portugal: o Póvoa Cycling Club foi alvo de um processo criminal, investigada pela PJ e acusada pelo MP que levou a uma decisão de mérito do Tribunal; por sua vez, em sede de processo distinto, no que se trata da questão disciplinar, os seus ciclistas foram alvo de suspensões pela FPC e ADoP.
O processo entre a USADA e Armstrong tem sido extremamente agressivo, explicável pela mentalidade do referido modelo de partes utilizado nos Estados Unidos, mas muitas vezes inexplicável face aos princípios gerais de Direito e foi precisamente por isso que desde cedo surgiram muitas dúvidas sobre a legalidade dos procedimentos da USADA. O processo da USADA foi feito contra várias pessoas, entre eles alguns médicos como José Marti, Michelle Ferrari e Garcia del Moral que preferiram, por diversos motivos, nem sequer responderam ao organismo, sendo imediatamente irradiados. Mas Armstrong, num primeiro momento, decidiu não responder à USADA em sede de decisor arbitral, mas promover uma providência cautelar, no tribunal federal, tentando bloquear a investigação. Daí que, num primeiro momento, não tenha tido o mesmo destino que os referidos médicos, pese, na prática, ter feito o mesmo que eles – abster-se de responder à USADA.
Os argumentos da equipa de advogados de Lance Armstrong partem, desde logo, pelo facto de a USADA adoptar práticas processuais agressivas condicionantes de um julgamento injusto, violando um direito constitucionalmente consagrado. Muito discutido foi, desde logo, o facto da associação anti-dopagem não revelar ao atleta toda a prova que foi adquirida contra ele, mantendo assim “cartas na manga”. De facto, de um ponto de vista penal, apenas a Inquisição condenava pessoas sem lhes dizer por quem e porquê eram acusadas; hoje em dia os processos têm de estar disponíveis para o arguido se poder defender e não ter “surpresas” em tribunal, podendo, por exemplo, um processo cair se a procuradoria norte-americana esconder deliberadamente provas favoráveis ao arguido, independentemente se é culpado ou não. Contudo, aqui não é um procedimento penal como o foi na FDA, mas administrativo, e aí segue-se as regras da própria USADA e da WADA, organismo internacional anti-dopagem. No protocolo 11 do regulamento da USADA, indica-se que esta pode não dar a conhecer ao atleta informação que a USADA não considere apropriadas para o desfecho do caso e a defesa do atleta. A norma é relativamente ampla e dá bastante poder ao organismo, contudo, indica que a informação que se considerar relevante para o atleta deve ser enviada, simultaneamente, a um “Review Board” - um corpo de árbitros independentes da USADA que aferem da suficiência probatória do procedimento, num primeiro nível de controlo do próprio organismo. E esse organismo deu luz verde à USADA.
Mas é aqui que surge também o primeiro problema: não o facto da USADA não ter dado a informação toda que os advogados de Armstrong pretendiam ter (independentemente da justiça e lealdade da decisão, mas eles são livres de decidir), mas a questão de a USADA ter submetido provas da investigação ao Review Board e não o ter feito também com Armstrong – o que, isso sim, viola o regime da própria instituição anti-dopagem. Como tal, num momento posterior, em sede de discussão arbitral, a defesa iria defender-se do que sabia pelos media… e sabe-se lá do quê mais. O outro argumento de Lance Armstrong é o facto de, conforme o artigo 17º do Código da WADA (que transmite as regras gerais dos procedimentos de dopagem) haver uma limitação das suspensões desportivas a factos praticadas nos últimos 8 anos. É um regime como o da prescrição, que funciona em Portugal em todas as jurisdições, quer civis, quer penais, com uma razão de ser perfeitamente óbvia, pelo facto de ser necessário certos factos serem consolidados no tempo – é impensável alguém com 70 anos ser condenado por uma dívida que contraiu há 50 anos; ou ser condenado por um roubo que fez há 30.
 O princípio de segurança jurídica, central no ordenamento jurídico, tem paralelismo lógico no desporto - é no mínimo exótico retirar vitórias de um ciclista ganhas, literalmente, no século passado. Apesar de tudo, há precedentes no sistema norte-americano (um sistema muito mais baseado na prática dos tribunais do que na lei propriamente dita) para ser ignorada o artigo que limita a condenação a práticas desportivas aos últimos oito anos. Mas, verdade seja dita, parece extremamente inverosímil que a USADA o conseguisse nos termos desses precedentes: era preciso provar, por exemplo, que houve perjúrio de Armstrong anteriormente (como no caso do maratonista Eddy Hellebuyk) ou que todo o esquema de dopagem foi deliberadamente escondido dos olhos da USADA, tornando impossível a esta conseguir, dentro do prazo legal, interpor a acção contra Armstrong. Ambos os casos são quase impossíveis de provar – era preciso provar que era culpado e que a USADA nada pôde fazer em 14 anos. Mais acessível seria uma última hipótese: provar que houve uma prática de dopagem continuada e reiterada entre 1998 e 2010.
 Contudo, era necessário avaliar que todos os supostos actos de doping de Armstrong seriam um único evento, ou melhor, houve um “crime” manifestamente continuado (como se fosse um sequestro) e não uma série de crimes (como seja 10 roubos em 10 dias que, mesmo que feitos pela mesma pessoa, não assumem um carácter de continuidade). Também é complicado afirmar categoricamente isto, como é fácil de imaginar, não houve uma continuidade absoluta entre as equipas US Postal, Discovery Channel, Astana e Radioshack. Este é o aspecto prático provavelmente mais patético de toda esta história: a forma como, com uma única decisão feita quase à revelia, só porque Lance Armstrong optou por não se defender da USADA, se apaga literalmente milhares de corridas – etapas, clássicas, classificações do pontos, da montanha, classificações gerais, mundiais e até, espante-se, a medalha olímpica de 2000… Quando nem o Comité Olímpico Internacional o faz. Ainda há outro problema com a USADA – é se ela tem ou não jurisdição, ou seja competência ou poder, para abrir este processo contra Armstrong. Este argumento é anterior a todos os demais – antes de ver se é ou não culpado, se pode ou não abrir processo face a acontecimentos tão antigos, se a USADA deve ou não dar informação; é saber se a USADA pode sequer estar a abrir o procedimento. A UCI e a Federação de Ciclismo Norte-Americana dizem que não, a WADA põe-se do lado da USADA. Atenção, falamos sempre de entidades diferentes.
 A UCI argumenta que só ela poderia sancionar Lance Armstrong por uma longa série de motivos:
1. Foi a UCI que recolheu as amostras anti-doping que a USADA usa a seu favor;
2. As regras anti-doping da UCI determinavam que só a UCI poderia aplicar sanções até 13 de Agosto de 2004 e, portanto, todas as sanções só podem reportar-se ao período após esta data;
3. A UCI tem jurisdição exclusiva nos termos do Código do WADA; 4. A USADA tem jurisdição apenas quando descobre um controlo anti-doping positivo e não numa “conspiração” – o que inviabiliza as sanções aos não-desportistas. Por isso mesmo e por ter sido completamente posta de lado da investigação, a UCI reclama para si o poder de sancionar e abrir um procedimento contra Lance Armstrong. A USADA, por sua vez, simplesmente ignorou a UCI e baseia a sua jurisdição unicamente no artigo 15.3 do código do WADA, que estipula que quem “descobre” a violação por doping deve ter autoridade para sancionar. O problema é que na continuação do artigo refere que o processo segue as regras processuais do Organismo Anti-Dopagem que iniciou e comandou a recolha de amostras… o que não foi o caso da USADA. Contudo, a interpretação deste artigo é tudo menos pacífica. O que deixa particulares dores de cabeça é a USADA colocar-se como julgadora em provas fora do seu país.
Uma última questão é o facto de Lance Armstrong ter sido condenado com irradiação, quando o limite máximo da responsabilidade disciplinar é de quatro a cinco anos para ciclistas não-reincidentes, que se tenham dopado com circunstâncias agravantes. Este ponto é particularmente importante e tem sido relativamente descurado nas análises ao processo: é que a suspensão vitalícia feita em ciclista não reincidente só pode ocorrer por tráfico de substâncias dopantes, nos termos do artigo 10.3.2 do código do WADA.
Por tudo isto, o primeiro passo da defesa de Lance Armstrong foi de interpor uma providência cautelar num tribunal comum simplesmente para impedir a USADA de sequer prosseguir o procedimento disciplinar. Armstrong perdeu, não propriamente porque tinha ou não razão, mas porque o tribunal escusou-se a decidir algo cuja competência não era sua – remeteu para o TAS qualquer decisão relacionada com esta questão. Lavou as mãos, como Pilatos. Perdida a providência cautelar, a USADA “chantageou” Armstrong: ou aceitava ir para um procedimento de arbitragem – similar a um processo judicial mas recorrendo a árbitros, ou seja, extrajudicial; ou renunciava a esse procedimento de arbitragem e era de imediato suspenso, irradiado e os resultados retirados. Armstrong seguiu a segunda opção. III – E agora? Iniciado o procedimento pelo USADA, nos termos propostos por esta, a decisão caberia, num primeiro lugar, na AAA – Associação Americana de Arbitragem e posteriormente, em recurso, no TAS. Armstrong evitou ir a arbitragem, por um motivo simples: quis evitar o lavar de roupa suja e a enorme exposição mediática que o processo poderia ter. Ao expor-se a ir a arbitragem, acabaria por expor também perante a opinião pública todo o processo preparado pela USADA. Em mais de quinze anos de competição e mais de meio milhar de controlos, Armstrong nunca teve um controlo positivo, logo, toda a prova teria que partir somente de testemunhas, como Landis, Hamilton e alegadamente até George Hincapie.
Nas declarações hoje emitidas pelos seus advogados, acrescenta ainda o facto do processo de arbitragem não poder contar com elementos da UCI ou da Federação Americana de Ciclismo. Mesmo que a decisão fosse a favor de Armstrong, o que até é bastante provável, e mesmo tendo a possibilidade de recorrer, é notório que todo o processo iria ser moroso, sujo, pantanoso, caro e ruinoso para o ciclista norte-americano. Ao desistir do processo e aceitar perder tudo o que ganhou, Armstrong não está a dar um tiro na cabeça e a arrumar o assunto. Os primeiros interessados em querer evitar que o processo fique por aqui é a UCI. Há, em primeiro lugar, uma questão de honra a defender - a USADA basicamente afirmou que a UCI não é de confiança; é uma instituição corrupta, suja. Não é só uma questão de honra – é que a jurisdição do processo, o poder de promover o procedimento contra Armstrong, é provavelmente sua. Finalmente, tudo isto criou um patético desfecho: a revisão de milhares de resultados desportivos, com a consequência que muitas das vitórias de Armstrong iriam parar às mãos de… bom, ninguém sabe muito bem quem, visto que Jan Ullrich, Ivan Basso, Tyler Hamilton, Francisco Mancebo e muitos outros ciclistas efectivamente condenados por doping são os que se seguem na lista.
A UCI tem nas mãos a possibilidade de ver absolutamente deturpada e arrasada a história da sua modalidade na última década, por um organismo que dubiamente tem autoridade para o fazer. Não o vai deixar fazer isso. A pressionar a UCI está, obviamente, toda a gente, a começar por patrocinadores – horrorizados pelo passado, presente e futuro e a fugir a sete pés de um desporto amaldiçoado; as equipas – pasmadas com a possibilidade de fazerem épocas inteiras para nada; e, acima de tudo, ciclistas. É para estes que a decisão é particularmente gravosa e não se espante o leitor de ver partir dos ciclistas a maioria das críticas a esta decisão da USADA: é que Lance Armstrong perde anos e anos de vitórias sem um único controlo positivo mas ante quinhentos controlos negativos e num processo que, verdade seja dita, começou na confissão de Floyd Landis, alguém que tem, publicamente, uma vendetta pessoal contra Armstrong. Lance Armstrong não perde só vitórias, perde todos os prémios monetários ganhos até aqui. Qualquer ciclista, vendo abrir o precedente de perder a conta bancária e mérito desportivo sem um único controlo positivo, baseado em testemunhos de rivais de estrada, ficaria arrepiado. Acima de tudo há aqui uma enorme machadada na imagem do desporto, mas incrivelmente mais violenta que aconteceu com Landis, Contador ou até os casos Festina ou Puerto e um brutal descrédito no programa anti-doping da UCI. A UCI aguardou a comunicação – obrigatória – da USADA dos castigos e motivação dos mesmos e agirá, provavelmente no TAS, para aferir da legalidade da punição da USADA. Será aqui verdadeiramente decidida a causa e tudo o referido supra: a jurisdição, “fair play”, prova e possibilidade de punir até 1998 que a USADA sustenta ter. Como indica a carta aberta feita pelos advogados de Armstrong, estes esperam agora que seja a UCI a tomar conta do processo, a avocar competências e a julgar definitivamente o processo. A última frase da carta refere ainda, que no futuro, a USADA e os seus responsáveis não se livram de responsabilidade civil caso o procedimento disciplinar que abriram seja considerado fora das suas competências. Conclusão Em suma, o que se assistiu hoje não é o fim de uma história, um admitir de culpa de Armstrong ou sequer vamos a meio de um processo que se espera longo.
 Como o caro leitor compreendeu, trata-se de um procedimento nada simples, que navega pelo limbo da legalidade e que expõe, de uma forma clara, a confusão enorme que surge com o sobrepor de competências e arcaísmos dos códigos da UCI, WADA e USADA. Além do mais, emerge daqui a complicação que é encaixar dois sistemas judiciais um no outro: o europeu, que tem tribunais administrativos próprios para julgar este tipo de questões; e o norte americano, baseado no procedente, sem competências administrativas óbvias e que, apesar de muitas vezes parecer aos olhos da opinião pública como muito eficiente e bonito, pode se revelar particularmente complexo para aferir a verdade material. Já vimos os interesses que giram à volta da UCI – e quanto à USADA? É um organismo anti-dopagem transversal a todas as modalidades desportivas, logo indiferente ao ciclismo. A verdade é que Lance Armstrong é extremamente popular nos EUA e um alvo relativamente fácil face ao seu passado relativamente obscuro. A USADA viu aqui uma oportunidade única de fazer de Armstrong um exemplo, tenebroso, para o desporto norte-americano. O que se segue é, quase seguramente, um conflito no TAS entre a UCI e o USADA para aferir da competência desta de retirar todos os resultados desportivos de Armstrong desde 1998 – apesar da limitação temporal dos oito anos, apesar das dúvidas de jurisdição, apesar das dúvidas quanto à própria justiça do procedimento e, obviamente, das próprias dúvidas quanto a se Lance Armstrong, afinal, se dopou ou não.

Diogo Martins Advogado Licenciado pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

terça-feira, 31 de julho de 2012

CAMPEONATO DO MUNDO DE LONGA DISTÄNCIA VITORIA 2012

Ainda sem fotos mas com o longo dia bem presente na memòria vou deixar-vos aqui um breve relato da prova.
Peço desculpa por algum erro mas este teclado "basco" nao ajuda nada.
Na companhia da familia e de grandes amigos o ambiente em Vitoria foi fantàstico a capital verde recebeu-nos engalanada e sem dùvida que conseguiu exceder as expectativas de todos.
No dia anterior à prova a romaria habitual para colocaçao do material, a sensaçao de estar entre mais de mil atletas de 33 nacionalidades diferentes transporta-nos para outra dimensao.
No dia da prova 6.30 è hora para tomar o pequeno almoço e seguir para a partida, quando chegamos o parque està replato sao milhares de pessoas entre atletas e pùblico e nòs fazemos parte daquela jornada fantàstica. As partidas foram desfasadas, primeiro elites ( boas provas dos nossos "estreantes" Duarte Marques  e Zè Estrangeiro", com mais alguma experiencia na distancia acredito que nos podem dar muitas alegrias) , depois os agegroups , 20 , 30 , 40 era a minha vez vamos là nadar uma horita , mais 10 minutos para o aquecimento ficar bem feito :-), neste segmento o que mais me marcou foi a imensidao do lago que jà conhecia de à dois anos, e da falta de navegaçao de muitos atletas, a partir de metade da prova, escolhi uma rota alternativa ao grande pelotao e penso que fiz a escolha correcta.
EStava na altura de começar a pedalar sabia que era fàcil entusiasmar-me, estava avisado quando à dois anos senti uma quebra enorme aos 90 kms, por isso mesmo decidi seguir num ritmo que me senti-se bastante confortàvel, independentemente de quem passa-se, senti-me bem e nos ùltimos 40 kms consegui forçar um pouco o andamento , terminei o segmento de 120 kms com 3h28m e cheio de vontade de correr, este segmento foi verdadeiramente èpico, começo o segmento e o pùblico estava ao rubro vinha là o grande Macca , um icone do Triatlo de todos os tempos ( para quem nao està familiarizado com a modalidade è o equivalente ao Lance Amstrong no ciclismo), aqueles segundos ficaram gravados para sempre na minha memòria, atè porque devo ter sido dos poucos a passà-lo na corrida teve um stop and go , precisamente depois de me passar o que fez com que eu pudesse ve-lo novamente e voltar a ter o prazer de ser passado por ele. Um pouco depois o grande campeao espanhol eneko llanos e depois ainda o bockel , o pùblico estava ao rubro e eu tambèm, as duas primaira voltas foram excelentes, a terceira custou mas com toda aquela envolvencia tudo parecia mais fàcil, mais uma volta e estava ali a meta, passados 30 kms e 2h 24 m, decidi que ainda tinha que disputar uma posicao ao sprint com um Americano :-) , no final 7 h 7 min , tinha tirado 43 minutos ao meu tempo de hà dois anos estava empenado mas feliz , com a minha familia a apoiar-me estava cumprido mais um desafio e eu estava muito satisfeito.
Foi bonita a festa pà , esta vai ficar na memòria por muitos anos.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

PRÓXIMA PARAGEM VITÓRIA


A prova mais longa do ano é já no próximo Domingo, tem o aliciante de estar a representar o meu Pais, competir com as cores nacionais, faz-nos acreditar que podemos dar sempre ainda mais de nós.
Aproveito para expressar a minha gratidão a todos os que me vão acompanhando e partilhando este espaço.
Domingo quem quiser ir vendo o que se está a passar no Campeonato do Mundo de Triatlo de longa distância pode fazê-lo através dos links que se seguem.
Vou correr com o dorsal 500

http://www.eitb.com/es/deportes/otrosdeportes/

http://www.triatlonvitoria.com/Live-results/

segunda-feira, 23 de julho de 2012

TRIATLO DE ESPOSENDE

A jornada era complicada e a equipa apesar de não estar na máxima força, mostrou uma grande união, companheirismo e espirito de sacrificio, o resultado foi um excelente 6º lugar que nos permite manter a 5ª posição no universo das 54 equipas que já pontuaram no Campeonato Nacional de Clubes.
O triatlo fazia a sua estreia em Esposende e o local mostrou que tem condições para manter esta prova por muitos e bons anos. Gostei muito da prova que ameaça tirar o titulo do sprint mais rapido a Oeiras, estou seguro que no próximo ano serão ainda mais os atletas a marcar presença, nesta prova magnifica.
Os mais de 160 atletas arrancaram num segmento de natação super rápido, foram os 800 mts mais rápidos que já fiz a nadar a corrente ajudou e de que maneira e no final de 10 minutos estava a sair da água para um segmento de ciclismo que já sabia ia ser feito sempre no red line. Após uma primeira volta inserido num pequeno grupo com o Leandro do TriBraga e o Jorge Duarte do Olimpico de Oeiras , chegou a cavalaria com o Délio a comandar as tropas e o Henrique em lugar Tenente, estavam lançados os dados para a excelente prestação que a equipa viria a alcançar. O ciclismo foi feito sempre a conquistar posições e chegados à corrida era sofrer mais um pouco só  faltavam 5 kms para a meta.
 O Délio mostrou que continua a ser um corredor magnifico e o Henrique ajudou-me a fazer uma grande corrida, cortando a meta ao meu lado.
No final trouxe o caneco dos Veteranos, 25ª posição da geral e um tempo impensável à algum tempo atrás de 1h00´03´´.
No próximo fim de semana vamos ver como vai funcionar a máquina noutras distâncias, vou disfrutar ao máximo do Campeonato do Mundo de Longa Distância em Vitória / Gasteiz, espero aproveitar ao máximo os 4 kms a nadar os 120 kms a pedalar e por fim 30 kms a correr .
Uma última nota para o grande amigo João Correia que deu um grande apoio, apesar de uma lesão chata não lhe permitir competir em casa, tu és um de nós e a competir ou a assistir és da Tribo, força amigo trata-te depressa que o Triatlo precisa de ti, com o teu blog tens divulgado muito a modalidade e provavelmente esta prova também se deve a ti, um grande abraço.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

AQUABIKE DE RAIVA

A pratica desportiva e associada a ela a competição leva-nos a lugares que dificilmente conheceriamos. Desta vez foram as águas do Douro que nos receberam,  que bem soube nadar no cais de midões e depois subir, subir e continuar a subir até ao Alto da Serra de S.Domingos que nos brindou com uma vista única sobre a cidade do Porto.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

II TRIATLO DE ESPINHO


Na realidade este titulo acaba por ser enganador, uma vez que no ano passado o I Triatlo de Espinho, acabou por ser um Duatlo uma vez que tiveram de cancelar o segmento de natação.Este ano existia essa possibilidade, o mar " estava feito um cão " , mas confesso que até me agrada fazer as provas com alguma ondulação.Uma partida no meio do pelotão decidido a conseguir ganhar o meu espaço e a fazer um bom segmento de natação, faltou sair 30 seg. mais cedo para entrar no grupo pretendido.
O segmento de ciclismo foi feito na companhia do pessoal do Tribraga, depois faltou-me força nas pernas para seguir duas rodas que vieram de trás, primeiro o Jorge Duarte que foi a minha referência em São Jacinto e já na última volta o Pedro Pinheiro.Chegado ao Parque de transição restava-me dar o máximo na corrida, apesar de só conseguir estabilizar a respiração na 2ª volta de corrida, o resultado final foi muito positivo. O Peniche manteve o seu 6º lugar e alargou a distância para os seus mais directos perseguidores e eu consegui subir ao 2º lugar do podio, o que é sempre um motivo extra de satisfação. Os próximos tempos vão ser de muito trabalho para depois poder recolher o fruto.
Um abraço e bons treinos.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

O LIMITE É SEMPRE PROVISÓRIO


Neste momento penso estar perto de um novo salto qualitativo. Muitas vezes não temos a paciência e persistência necessária para perceber que o limite é provisorio e dura o tempo necessário para que tu te convenças que és capaz de fazer mais e melhor.
A principal razão para não estabelecer neste momento novas metas, tem somente a ver com o facto de não saber o que é suficientemente dificil e ao mesmo tempo realista como objectivo de médio prazo, vou esperar pelo desempenho no final de Julho em Vitória.
Uma coisa é certa quando treinamos acompanhados , conseguimos sempre fazer mais e melhor.

domingo, 3 de junho de 2012

Campeonato Nacional de Agegroups Peniche 2012

Foi bonita a festa pá.
A chuva ameaçou estragar a festa mas não estragou a celebração anual, que marca o inicio do Triatlo em Portugal.
É uma prova em que eu gosto muito de participar de outra maneira, como espectador a berrar literalmente para os atletas incentivando-os a dar o máximo de si. Esta perspectiva é dificil de compreender por muita gente, que invariavelmente me pergunta, - então mas não vais correr? estás lesionado ?
A resposta é que como apaixonado do Triatlo gosto muito de participar mas também gosto muito de assistir enquanto espectador, este ano fiz o mesmo em Alpiarça.
Deixo-vos aqui a minha reportagem fotográfica da prova, espero que gostem :-)
Parabéns a todos os que participaram na festa.

sábado, 2 de junho de 2012

TREINOS MATA SICA

Já é velho o ditado que diz: " o que não nos mata torna-nos mais fortes", neste momento estou a testar a veracidade da sabedoria popular, penso que daqui por uns tempos irei tirar as minhas ilações :-).
Uma coisa é certa quando treinamos acompanhados o empenho e principalmente o desempenho é largamente ultrapassado, quando temos a oportunidade de o fazer com os melhores, se formos atentos, empenhados, teimosos e tivermos vontade, acabamos por evoluir nem que seja por osmose :-) .
Nos últimos tempos tenho o previlégio de ter nas pistas ao lado o David e o Zé Miguel, espero que dentro em breve esteja com guelras e membranas interdigitais, para quem sofreu tantas transformações no corpo nos últimos anos, mais apêndice menos apêndice, são meros detalhes.
Cada vez mais, penso que a felicidade se alcança mais pelo caminho que fazemos do que pelos resultados alcançados, esses são pormenores que resultam da nossa forma de estar e acreditar. A melhor parte é sem dúvida o prazer que retiramos do caminho. Muito obrigado a todos os companheiros de viagem a começar na familia, passando pelo Mister Happyman, os meus companheiros de treino e todos os que me vão incentivando e me fazem acreditar que os limites são sempre temporários.

domingo, 27 de maio de 2012

INICIO DE UM NOVO CICLO

Hoje tenho a sensação de dever cumprido, sem dúvida que esta época tem sido excelente.
Depois de ter atingido ainda no ano passado o objectivo de baixar da 1h05m, num sprint e de 2h10m num Triatlo na distância Olimpica hoje foi o dia em que arrisquei tudo e consegui baixar das 4h30m num Half IronMan.
O campeonato Nacional de distância longa deixa-me boas recordações, fui o terceiro Português no escalão V1, a natação saiu bem e ao fim de 30 m sai da água bastante fresco e com o aquecimento feito, arrisquei no ciclismo e em vez de adoptar um ritmo mais conservador decidi marcar um bom ciclista que saiu comigo da água e pela primeira vez baixei das 2h30m nos 90 kms de ciclismo, terminei o segmento com 2h27m e uma ameaça de caimbra quando entrei no parque de transição. Depois faltava a Meia Maratona, felizmente consegui correr e só senti uma quebra na última volta, ainda assim consegui terminar com 4h29m15s, com um valente empeno e as duas unhas dos dedos dos pés prontas para serem trocadas por novas.
Agora que alcancei todos os objectivos que tinha definido, vou sonhar com novos vôos, depois conto-vos.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

1ª ETAPA DO CAMPEONATO NACIONAL DE TRIATLO MONTEMOR O VELHO

Esta prova parece que tem um qualquer enguiço, o ano passado um pneu furado marcou a minha primeira desistência num Triatlo este ano consegui partir a corrente e pela segunda vez deisisti numa prova de Triatlo.
No momento senti uma enorme frustação mas nestas situações temos de pensar positivo e andar para a frente.
A natação decorreu sem problemas, penso que estou no bom caminho, demora tempo mas penso que devagar devagarinho vou nadando um pouco mais rapido e saiu bem menos cansado para a bicicleta.
aqui ainda me ria
No segmento de bicicleta sinto que não consigo ter a explosão necessária para responder em algumas situações mas é algo que posso e devo treinar mais, em relação à corrida espero poder dar-vos boas noticias após o Longo de São Jacinto.
Uma boa semana de treinos encontramo-nos em São Jacinto

quarta-feira, 16 de maio de 2012

AQUATLO DE ILHAVO

Já foi .... , não me posso arriscar a alongar muito no post, pois corro o risco de demorar mais no relato que a realizar a prova, digamos que deu para esclarecer o conceito de intensidade, 12 minutos em apeneia, já está.
No final fomos os primeiros velhos numa prova para "putos", a estafeta de Duatlo e Aquatlo em Veteranos já ficaram em Peniche, vamos ver se em Setembro tambem conseguimos trazer o caneco do Triatlo.
Próximo fim de semana mais uma corrida mais uma viagem, promete uma disputa renhida tanto por equipas como no meu escalão, da minha parte podem contar, que vou lá deixar a pele, um abraço e até Montemor.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

TEMPO DE CAMALEÕES

Provavelmente será do calor ou talvez dos ventos que sopram de França, é incrivel como existem pessoas que têm o " dom" muito apreciado por muito de estar no sitio certo na hora certa e adaptarem o seu discurso ao momento.
De facto só pessoas com este tipo de " inteligência parda" podiam autoproclamar-se como " Pais da Democracia " , também só assim se pode compreender que exista uma Pátria democrática medrosa, subserviente e à beira da depressão, felizmente existem ainda muitos que fazem sacrificios para honrar os seus compromissos e percebem que coerência e persistência não são palavras vãs.
Isto não é assim tão complicado como querem fazer parecer, mas existem alguns principios que são adquiridos de pequeno, não precisamos de lideres " porreiros " que nos dizem que podemos ter tudo, precisamos de alguém com coluna vertebral e nos diga não vás por aí ...  estes tempos de mudança vão trazer-nos muitos camaleões, estejam atentos.

domingo, 29 de abril de 2012

A MINHA ESTREIA NUM AQUABIKE

Como tinha dito estava curioso por experimentar esta variante do Triatlo, pelas características dos dois segmentos (natação no Rio Corgo e Piscina de Ondas de Castanheira e ciclismo de BTT até ao alto de Santo António das Neves) e pelas condições climatéricas esperadas muito frio e chuva qb.
As minhas expectativas não foram goradas e confesso que fiquei cliente desta prova, gostei muito da prova e espero ser possivel repeti-la num dia de Verão para a familia poder disfrutar das magnificas condições da Praia das Rocas em Castanheira.
O frio marcou presença durante toda a prova , chegados a Castanheira fomos informados que já nevava junto à meta, infelizmente era só um boato, no entanto lá no alto a temperatura rondava os 3º e o cume estava encoberto por nuvens negras que impunham respeito e me levaram a fazer o segmento de BTT de corta vento e luvas. A água foi das mais frias que já apanhei a rondar os 10 º  a única vez que me lembro de ter nadado com água a esta temperatura foi no X-Terra na Figueira da Foz, sai da água quase transformado num cubo de gelo, demorei uma eternidade na transição, às tantas o fato mais parecia um colete de forças que eu não tinha força nem forma de tirar.
Parti para o segmento de BTT, confiante que podia ganhar muitas posições e assim foi, comecei sem ir ao limite mas a inclinação das primeiras rampas começou logo a deixar moça em alguns atletas que fui alcançando Consegui manter um bom andamento e ter forças para na parte final mais complicada deixar o resto que tinha em prova, dei tudo e no final tive a recompensa, 21º da Geral e 2º no escalão atrás do meu companheiro de equipa Zé Miguel que fez uma prova magnifica, estando na disputa pelo 4º lugar da geral até aos últimos metros tendo terminado em 6º.
A equipa do Peniche esteve em excelente plano terminando em 4º, passando para o 5º lugar da Taça Porterra.
Seguiu-se um almoço convivio com a entrega de prémios e lá consegui subir mais um degrau no Podio ;-).


quarta-feira, 25 de abril de 2012

ESTOU CURIOSO

No proximo Domingo vou fazer a minha estreia num Aquabike, esta variante do Triatlo é constituida só pelos segmento de natação e de ciclismo.
O aquabike de Castanheira de Pêra tem a aliciante da natação decorrer num braço de rio com os últimos 250 mts realizados na piscina de ondas e do segmento de ciclismo ser feito em bicicleta de BTT num percurso desafiante em que se sobe, sobe e se continua a subir até ao Alto de Santo António da Neve.
Com um pouco de sorte ainda temos oportunidade de apanhar neve junto à meta, se calhar vai ser mesmo é granizo o que vale é que o pessoal vai agasalhado com a licra :-)
Uma água a rondar os 13 º e uma temperatura ambiente abaixo dos 10º são condimentos extra para apimentar este desafio.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

ORIENTAÇÃO EM FAMILIA

No proximo Domingo de manhã enquanto os meus colegas de equipa estiverem a defender as cores do Peniche no Campeonato Nacional Individual de Duatlo que se realiza em Torres Vedras, vou estar na Mata dos Marrazes numa iniciativa promovida pelo Clube de Orientação do Centro que visa dar a conhecer o mundo da orientação a novos praticantes de todas as idades.
O formato escolhido para a actividade que envolve toda a familia parece-me excelente.
Se puderem não deixem de marcar presença, pois parece-me um excelente programa para Domingo de manhã.
Aqui fica o link com o programa das festas http://www.coc.pt/2012/04/05/orientacao-em-familia/

segunda-feira, 16 de abril de 2012

NADAR, PEDALAR E CORRER PELA OPERAÇÃO NARIZ VERMELHO

Amigos conto com o vosso contributo nesta iniciativa, o Pedro pelo 2º ano repete esta acção que este ano se estende aos membros da equipa que irão participar no Triatlo Internacional de Lisboa Triathlon. Sinta-se feliz fazendo felizes as nossas crianças, ajudando a Operação Nariz Vermelho, cada um contribui com o que puder a partir de 1€.
O Peniche AC vai participar no Triatlo Internacional de Lisboa com o apoio da Compal para divulgar e angariar fundos para a Operação Nariz Vermelho.
Por cada tranferência de 1EUR para a Operação Nariz Vermelho, a Compal dobra o donativo e dá 2 euros.
A campanha é válida até à meia-noite do dia 04 de Maio ou até atingir os 1000 donativos de 1EUR.
Faça o seu donativo diectamente para a Operação Nariz Vermelho, através de Multibanco ou online, para o NIB Operação Nariz Vermelho: 0010.0000.36564270001.70.
Obrigado, vamos dobrar o seu esforço.
Fica aqui o link para a página do facebook desta iniciativa http://www.facebook.com/?ref=tn_tnmn#!/NadarPedalarECorrerPeloNarizVermelho

domingo, 15 de abril de 2012

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES DUATLO


Ontem sonhei, hoje o meu sonho tornou-se realidade, depois do podio individual subi com os meus colegas Joel e Zé Miguel ao lugar mais alto do podio de veteranos.
As provas de estafetas dão-nos sempre um nervoso miudinho, uma vez que o espirito de equipa vem ao de cima, cada membro da equipa tem de dar o melhor de si, para atingir um objectivo comum. Neste caso o objectivo era a vitória nos dois escalões em que participávamos.
O Peniche apresentou-se com duas equipas , uma de Seniores com o Marcio Neves, Valdo Neves e Pedro Figueira e outra de Veteranos com o Joel Marcelino o Zé Miguel e eu.
Os meus colegas estiveram soberbos e conseguimos subir ao lugar mais alto do podio nos dois escalões, como diz o Márcio " epá , se o pessoal se habitua a isto não quer outra coisa, senão ir ao podio todas as semanas ;-) ".
O PAC esteve em grande hoje em Fátima e está a lutar ombro a ombro com os principais clubes Nacionais, podem contar conosco para a luta no Campeonato Nacional de Clubes.
Para a semana temos mais em Torres Vedras e os Penicheiros vão de novo à luta, carrega PAC.

sábado, 14 de abril de 2012

DUATLO DE FATIMA 2012

Todos os que hoje se deslocaram a Fátima tiveram de enfrentar severas condições climatéricas, chuva, frio, vento e até granizo não pouparam os atletas que competiram de forma notável.
O meu Peniche esteve em bom plano terminando na 8ª posição da geral, o destaque vai para o Marcio Neves que fez mais uma brilhante prova com o melhor tempo no parcial de ciclismo e subiu ao podio em 3º lugar no escalão senior. Destaque também para o António Moura que venceu o seu escalão V3 de forma notável.
Deixo-vos as fotos que consegui tirar, a chuva e o meu pequeno atleta Gabriel  :-) não permitiram uma cobertura fotográfica como desejava.


Hoje vou sonhar com a grande prestação das duas equipas do Peniche amanhã no Campeonato Nacional de Duatlo por Clubes.

sábado, 7 de abril de 2012

PESO


Vou deixar de me preocupar quando a balança se aproxima perigosamente dos 80 kgs no periodo de Inverno, mesmo comigo a treinar diariamente. Pelo segundo ano consecutivo deu para perceber que chegando a altura certa o peso, começa a baixar até estabilizar, a novidade este ano, é que cheguei a niveis históricos :-)

segunda-feira, 2 de abril de 2012

TRIATLO DE QUARTEIRA 2012

O dia 1 de Abril começa a ser um dia marcante para mim, à 15 anos marcou a minha entrada no mundo do trabalho a serio, foi o inicio de uma jornada, que tento reinventar todos os dias de forma a criar novos desafios mantendo-me motivado a mim e aos que me rodeiam.
Passados 15 anos concretizei um sonho! Um gorducho sedentário que decidiu mudar de vida à 5 anos atrás, arranjando lugar para a pratica de exercicio  fisico diário conseguiu subir a um podio numa Prova de Triatlo Nacional.
Foi um longo caminho desde a minha estreia em Alpiarça em que nadei com a cabeça fora de água, vesti um jersey de BTT e sentei-me para tirar o fato e depois calçar as sapatilhas. Para todos os que estão agora a dar os primeiros passos no Triatlo, digo-vos acreditem sempre, trabalhem muito, depois trabalhem mais e continuem a trabalhar, não desistam perante as adversidades, tentem encontrar as razões para os insucessos, nunca coloquem a culpa nos outros, pois a única culpa que podem ter, é trabalhar mais do que nós próprios, estou certo que este foi o caminho que me trouxe aqui.
Hoje concretizei um sonho e subi a um podio individual depois de na semana passada ter subido ao podio com a minha equipa.
Sabia que era possivel nesta prova, mentalizei-me que ia dar tudo de forma a tornar esse sonho realidade, consegui nadar bem, após uma semana de treinos de mar, na bicicleta tive a sorte de encontrar um excelente grupo o que me possibilitou ir buscar os dois concorrentes directos ao 3º lugar, sabia que o Paulo e o Emanuel eram grandes corredores, entrei bem no parque de transição e depois restava-me correr até ao fim sempre com a rotação do motor ao máximo, ou gripava ou conseguia agarrar o meu sonho, correu bem. Um obrigado especial ao João Oliveira que me ajudou e incentivou na bike e na corrida e claro ao meu Treinador Alexandre Feliz, que é um atleta tremendo e subiu ao lugar mais alto do podio e um Treinador muito especial que me fez evoluir ao ponto de tornar um sonho realidade.
Não sou de dedicatórias, mas nesta altura tenho de agradecer e dedicar este resultado à minha familia que me apoia incondicionalmente, em relação aos meus colegas de equipa quando subi ao podio vocês subiram comigo, obrigado companheiros tenho um orgulho imenso de pertencer à grande equipa que é o Peniche.
No final não pude participar no convivio do Rodizio de Pizzas que começa a ser um clássico desta prova reunindo a malta toda no final da prova, pois fui ter com a familia e aproveitar o último dia de férias, a recuperação foi feita a caçar uns chocos para o jantar.
A vida é feita com alegrias e tristezas e ontem foi um dia trágico, faleceu uma figura impar do Triatlo Nacional e da equipa dos Águias de Alpiarça, Antonio Miguel Jourdan, esta passagem é demasiado curta para não a vivermos intensamente todos os dias, até sempre.

terça-feira, 27 de março de 2012

TRIATLO LONGO VRSA

Este ano comecei a temporada com um longo e não foi um longo qualquer, confesso que ao ver o percurso pensei que o desafio seria mais fácil de superar, afinal foi um osso bem duro de roer.
Os triatlos longos têm uma magia especial, começa logo na véspera da prova, a tribo junta-se, discute o percurso e manda umas bocas, depois a noite é sempre num sono leve, que a ansiedade não nos deixa dormir normalmente.
Acordamos ainda de noite e começa o ritual da colocação do material no parque de transição, dois dedos de conversa e rapidamente a praia enche-se de pinguins cheios de vontade de passar as próximas horas com a respiração ofegante e os dentes cerrados até cruzar a linha de meta.
O mar estava com algumas vagas e corrente forte, que dificultou este segmento  e se reflectiu nos tempos de quase todos, depois do banho matinal era altura de pedalar a solo "noventa e picos" kms , num percurso plano mas onde o vento e um troço em empedrado teimavam em não deixar aumentar a média para o valor desejado, no entanto senti-me bem neste segmento e foi com um sorriso nos lábios que entrei no segmento final de corrida. Rapidamente percebi que tinha que meter um passo moderado para acabar os 21 kms, sob o risco de ficar agarrado ás pernas, nestas altura as caimbras ameaçavam e por mais de uma vez tive de esquecer a dor esticar as pernas abrandando um pouco e continuar. No final não consegui o resultado pretendido ( terminei em 37º lugar da geral , 5º lugar do escalão) mas tive uma grande alegria o Peniche AC , subiu ao podio alcançando o 2º lugar por equipas e subiu ao 3º lugar do Campeonato Nacional de Clubes foi magnifica a prestação dos meus companheiros de equipa.
Após 10 minutos de recuperação do esforço e uma bela massagem estava quase como novo.
Esta semana estou a recuperar para desfrutar da bela jornada que se aproxima , este fim de semana Quarteira vai ser a Capital do Triatlo Nacional, com muitos e bons atletas Internacionais a marcarem presença na Taça da Europa , estou a torcer pelos atletas nacionais que vão ter que se aprumar para conseguir levar de vencida as armadas Russas, Francesas e Espanhola que vão estar presentes em força.
Quem eu gostava que ganhasse, adivinhem, e façam as vossas apostas, se puderem não deixem de estar presentes este fim de semana na Quarteira a apoiar os atletas Lusos.

segunda-feira, 19 de março de 2012

TRIATLO DE ALPIARÇA 2012


O grupo perseguidor (nunca te viste noutra Paulo)
 Nos últimos tempos tenho passado menos por este espaço, estou certo que os mais atentos já notaram.
A verdade é que não existe uma razão particular, a culpa é sempre da mesma Senhora que se chama "vontade", no entanto a vontade de treinar e viver de forma saudável e equilibrada mantém-se e está mais viva que nunca.

Para quem já incorporou a pratica desportiva de "manutenção competitiva" na sua rotina sabe que por vezes é preciso refrear os ânimos e procurar um equilibrio com tudo o resto que faz de nós a pessoa que somos.
Explicações à parte Domingo arrancou a época de Triatlo e eu tive um dia memorável. Estive por opção do lado de fora por vezes sabe bem e dá-me um gozo brutal poder apoiar toda a malta conhecida, não sei se vibro mais quando estou a competir se quando estou a assistir, fico espantado como é que o público que assiste consegue estar amorfo e sem reacção à passagem dos atletas.Confesso que quando estou a fotografar tenho de fazer um esforço brutal, para deixar de apoiar a malta e concentrar-me nas fotografias, mas sei que depois vocês gostam do resultado (espero).
A prova foi um grande espectáculo, desde o inicio como seria de esperar, no entanto foi impressionante ver tanta gente a sair junta da água no primeiro grupo e a manterem-se até à segunda transição, num percurso de ciclismo complicado, de ano para ano o nivel não para de aumentar e isso é excelente para a modalidade.
A presença dos nossos atletas internacionais trouxe um brilho especial à prova numa terra única em Portugal que acarinha de uma forma muito especial o Triatlo, parabéns para as gentes de Alpiarça.
Na corrida uma vez mais o João Pereira fez a diferença e até a mota da policia fez questão de passar antes de cortar a meta ( existe registo fotográfico :-) , os nossos Olimpicos Bruno Pais e Duarte Marques fecharam o podio, no sector feminino a luta adivinhava-se renhida entre a Luisa Condeço e a Anais Moniz infelizmente um problema técnico pôs a Anais fora da prova, mas estou certo que já na Quarteira a Anais vai arrancar uma grande prova, força miuda que tu mereces. Com a sua principal adversária fora de combate a Luisa Condeço arrancou uma vitória brilhante em casa tendo sentido um apoio enorme de todo o público presente, parece que está a nascer uma nova estrela no triatlo feminino Português.
No meu escalão "velhos 1º escalão" o Peniche fez a dobradinha com o Zé Miguel e o Alexandre Feliz a subirem aos lugares mais altos do Podio, encheram-me de orgulho como companheiros de equipa e grandes amigos.
Obrigado a todos os companheiros de equipa que tiveram uma prestação excelente levando o Peniche ao 6 º lugar por equipas em 35 equipas participantes, paulatinamente vamos marcando a nossa posição no panorama do Triatlo Nacional, temos os alicerces ( espirito de grupo, esforço, dedicação e boa disposição) para construirmos uma grande equipa.
Parabéns a todos os participantes no Triatlo de Alpiarça que fizeram uma grande Festa e parabéns à organização da Federação que mais uma vez esteve em excelente plano.
A última palavra vai para o meu amigo de infância Miguel Menezes que terminou o seu primeiro Triatlo na distância Sprint, mais uma etapa cumprida, aperta contigo Campeão.

domingo, 4 de março de 2012

DUATLO OURÉM - TAÇA PORTERRA


Finalmente a chuva caiu e parece que era o que me faltava para começar a correr, já o segmento de BTT foi assim para o fraquito (fez-se o que se pode), agora o que me deixou realmente satisfeito foi a prestação da Equipa, mais um 6º lugar, a rapaziada do Peniche AC, enche-me de orgulho.
Ficam as fotos para mais tarde recordar, obrigado Bia pela excelente cobertura fotográfica ( ainda não se habituou foi aos novos equipamentos, nem eu.)
Um abraço a todos pela tarde bem passada na companhia da Tribo, aos poucos parece que a coisa vai ficando composta.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

BIKEFIT

Quando passamos várias horas em cima de uma bicicleta o mais importante é estarmos confortáveis.
Ainda são poucos os atletas a terem esta preocupação mas estou convencido que é um investimento muito rentável no tempo.
Decidi dar um presente ao corpo, antes de apertar com ele mais um pouco, espero que ele não seja mal agradecido :-)


antes



depois


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

sábado, 28 de janeiro de 2012

INICIO DE ÉPOCA

Estamos prestes a começar uma nova época que para mim é histórica, vou tornar-me um pele vermelha. Até aqui quem só visse o dorsal ou a touca azul podia pensar que se tratava de um jovem de 20 ou 30 anos, agora tornei-me num "proscrito", não irei livrar-me de num destes dias um puto passar por mim e dizer "sai da frente velhadas "  :-)
Estou feliz com este novo desafio, quem me conhece sabe que sou competitivo e pela primeira vez espero discutir os lugares do podium, não será seguramente nestas primeiras provas de Duatlo, mas quando chegarem os Triatlos apesar da forte concorrência, também quero entrar na luta.
Ao nivel colectivo a equipa do Peniche também se reforçou e estou certo que podemos discutir um lugar de relevo no novo formato do Campeonato Nacional de clubes.
Vamos lá então, começar da melhor forma, na Festa que é o Duatlo do Jamor.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

TEMOS ATLETA !

Despedi-me da melhor maneira do ano de 2011, participando na São Silvestre de Lisboa.
Uma prova especial, foi a estreia da Martine nestas andanças, e que estreia, superou o desafio e venceu a aposta, dando-me quase 9 minutos de avanço, terminando os seus 5 kms com um grande sorriso de satisfação nos lábios e a certeza de que foi a primeira de muitas.
Depois foi a recepção apoteótica feita pelos nossos filhos e amigos à grande atleta, a Festa durou até de manhã e aproveitei já que estava acordado para fazer um treininho de BTT, logo pela fresca :-)
Parabéns Martine, nem sei onde vais chegar quando começares a treinar :-)