domingo, 14 de junho de 2009

Para o outro lado do Oceano


Para todos aqueles que do outro lado do Oceano vão espreitando o blog, queria deixar aqui duas letras, uma do grupo Português Deolinda e outra do grande Chico Buarque, ambas tentam conciliar o inconciliável o fado com os ritmos brasileiros, resultado uma sátira onde fica patente uma tristeza nostálgica Portuguesa, face à alegria contagiante da música brasileira.
Como diria a Garçonete " No Brasil casa de fado não seria mole assim".

Eu sou brasileira e já arranho o Português
Cheguei vai para uma semana e já me viram com freguês
Tem feijão, fava, sardinhas, bacalhau, chouriço
assado
E vá ficando prá noitinha, que vai se cantar o fado
E vá ficando prá noitinha, que vai se cantar o fado

Aiiii e quando eu escutei cantar
Aquele chorinho delicado
Deu uma vontade de pegar
Alguém com quem dançar o fado
Moça, mas ninguém dança o fado?
Fica aqui quietinho a ouvir
Poxa mas no Brasil casa de fado
Não seria mole assim
No Brasil casa de fado
Não seria mole assim (+1)
Aiiiiiiiiiii

Eu sou brasileira e já me entendo com turistas
Please sit on another table, because this one is for
fadistas
Sou garçonete competente até aviso no palco
peço silêncio minha gente que vai se cantar o fado
peço silêncio minha gente que vai se cantar o fado

Aiiii e quando eu escutei cantar
Aquele chorinho delicado
Deu uma vontade de pegar
Alguém com quem dançar o fado
Moça, mas ninguém dança o fado?
Fica aqui quietinho a ouvir
POxa mas no Brasil casa de fado
Não seria mole assim
No Brasil casa de fado
Não seria mole assim

link para ouvir as músicas

http://vagalume.uol.com.br/deolinda/videos/garconete-da-casa-de-fado.html

Aqui está o link para a música Fado Tropical do Chico, acima de tudo uma Música feita por um Génio contra as Ditaduras que tomaram conta de ambos os Países durante décadas.

http://www.youtube.com/watch?v=LCi-3G-Y3oA

1 comentário:

TC Projeto Triathlon (Tuco) disse...

Dá-lhe Sica. Seu blog também é cultura!! Tenho um amigão aqui que veio do Alentejo e montou um restaurante aqui em Curitiba. As vezes vou lá comer um bom bacalhau, tomar um vinho da sua região, comer uma tarte de amendoas, tomar um café e ouvir uns fados. Gosto muito do ambiente de seu restaurante, tem muita coisa de Portugal, fora as histórias que meu amigo conta. Um dia se o Paizão quiser, apareço por aí! Abração amigo!!